Usina de Alckmin ameaça santuário ecológico da Juréia

O governo de São Paulo está na iminência de autorizar a instalação de uma termelétrica em Peruíbe que vai destruir um dos últimos santuários ecológicos do Estado. Será a maior usina desse tipo dentro de uma área urbana no Brasil, e os impactos para o meio ambiente e para a população serão devastadores. Reportagem de Fernando Morais e Manuela Azenha.

Por Fernando Morais e Manuela Azenha

Uma violência sem precedentes está para ser cometida nas nossas barbas contra a natureza, o meio ambiente e a população.

O governo Alckmin está para autorizar a instalação de uma usina termelétrica a gás natural com capacidade de 1.700 megawatts na cidade de Peruíbe, litoral sul de São Paulo, no coração da Juréia, um dos últimos santuários ecológicos do Estado.

Será a maior usina desse tipo dentro de uma área urbana no País.

O projeto, chamado “Verde Atlântico”, está em análise na CETESB, Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental.  Segundo o parecer técnico, a área de 180 hectares percorrerá a zona de amortecimento de dois parques estaduais, três áreas de proteção ambiental e vastas áreas hoje ocupadas por indígenas.

Ainda de acordo com o documento, a usina ficaria a menos de cinco quilômetros de distância de Piaçaguera, área ocupada por índios.

O gasoduto de distribuição e as linhas de transmissão percorreriam o entorno das áreas indígenas de Itaoca, Guarani do Aguapeú e Rio Branco.

Segundo o ambientalista Plínio Melo, o maior impacto será o efeito da chuva ácida, que vai degradar um dos últimos remanescentes contínuos de Mata Atlântica no Estado de São Paulo: a Estação Ecológica da Juréia.

Acabou? Não. O estrago vai ser maior.

A etapa de resfriamento do vapor para a geração de energia consumirá mais de três toneladas de água do mar por hora, ou 90 milhões de litros por dia. Além de voltar para o mar numa temperatura mais elevada, essa água poderá estar contaminada por efluentes químicos como soda cáustica e cloro. Um atestado de morte para a fauna marítima da região.

A suspeitíssima rapidez do processo de aprovação da licença ambiental para a construção da usina chamou a atenção e está sendo investigada pelo Ministério Publico Federal e Estadual.

O empreendimento de R$ 5 bilhões é da Gastrading Comercializadora de Energia. Trata-se de uma empresa criada há apenas seis anos por Alexandre Chiofetti, empresário com grande desenvoltura no mercado financeiro – com passagens pelos bancos BNP Paribas e JP Morgan, como se pode ver no seu perfil no Linkedin – mas nenhuma experiência na área de construção de usinas.

Em resposta a uma solicitação da repórter Manuela Azenha, do Nocaute, a Gastrading informou que “o Verde Atlântico será o primeiro projeto desse porte da empresa”.

O que fazer para impedir esse crime contra a natureza?

Não sou eu quem vai ensinar o povo de Peruíbe a defender a saúde de seus netos.
Até porque não é a primeira vez que a população da região compra briga contra projetos desse tipo. O empresário Eike Batista tentou construir um porto em Peruíbe em 2008, mas graças à pressão da opinião pública o Ibama e a Funai não concederam o licenciamento.
Mas você deve estar se perguntando: porque é que eu, Fernando Morais, estou metendo o bedelho num assunto que diz respeito apenas ao povo do litoral sul? Logo eu, que não sou de Peruíbe e nem sei nadar?

Eu explico.
Em 1980, há quase quarenta anos, a ditadura militar decidiu construir não uma, mas DUAS usinas nucleares – isso mesmo, duas usinas nucleares, como as de Angra – exatamente onde? No coração do santuário ecológico da Juréia. Éééé: em Iguape… e Peruíbe!

Foi então que decidi fazer o que a maioria dos meus amigos achava uma rematada maluquice: mover uma Ação Popular contra o presidente da República, general João Batista Figueiredo.
Para calçar a Ação com argumentos sólidos, convidei para se associarem a mim alguns dos mais importantes cientistas de então. Além de mim, a Ação foi assinada pelos físicos Mário Schemberg e Luís Carlos de Menezes, os economista Raul Ximenes Galvão e Ricardo Abramovay, o geólogo Aziz Ab’Sáber e a ecologista Ecléa Bosi, todos professores da USP. O advogado que nos representou foi Iberê Bandeira de Melo, conhecido pela defesa de presos políticos.
Para surpresa de todos, a ação foi acatada e correu na 4a Vara da Justiça Federal de São Paulo, que determinou a citação do réu, por carta precatória.

Confesso que me senti vitorioso só de ler o nome do Figueiredo datilografado na capa do processo como “réu”.

A Ação percorreu os sossegados escaninhos da Justiça brasileira até que, ao final, sabe o que aconteceu?

Eu ganhei! Sim, o impossível aconteceu. Eu ganhei a ação e o governo desistiu de construir as usinas em São Paulo.

Por que é que estou lembrando desse episódio? Por uma razão muito simples: se foi possível vencer a ditadura, por que não venceríamos o tucano Geraldo Alckmin?
Portanto, vamos à luta. O Nocaute está aberto para quem quiser entrar nessa briga. Vamos lá!

17 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Natale

17/10/2017 - 00h42

Fernando gostaria de parabeniza-lo pela sua vitória contra o Pres. da República João Figueiredo quando Usina nuclear em Peruíbe. Você poderia ajudar contra o Alckmin? ????? Portanto, vamos à luta. O Nocaute está aberto para quem quiser entrar nessa briga. Vamos LUTAR!!!!!! GUPO MOMCAN ! HELIO BALDOCCHI OU SERGIO DIALETACHI ou MARI POLACHINI ! AGUARDAMOS SUA PRESENÇA E PARTICIPAÇÃO !!!! DIA 18-10-2017 próxima quarta-feira teremos a apresentação(Plano Diretor da cidade) de dois Projetos de Lei que, se aprovados, vão barrar a construção da usina termelétrica na cidade de Peruíbe. NA CAMARA MUNICIPAL.

Responder

Natale

14/10/2017 - 18h49

Ninguem levou em consideração ainda a “Ilha Queimada Grande” o maior berçário das cobras , distante sete quilometros da “Ilha Queimada Pequena”! Tudo sendo feito sem planejamento e sem responsabilidade com o meio ambiente.

Responder

Edna

14/10/2017 - 18h16

No Facebook há vários grupos lutando contra a usina e usando o site como canal aberto de comunicação. Um deles é: Movimento Contra as Agressões à Natureza. Participando deste grupo sempre veremos o que outros grupos com o mesmo objetivo estão falando, além de nós organizarmos para as manifestações.

Responder

sueli coelho

30/09/2017 - 11h04

SOCORRO!!! Por favor, nos ajudem para que essa desgraça não aconteça na nossa cidade, Precisamos muito do apoio de gente influente, pois nós moradores de Peruibe estamos fazendo tudo o que é possível, mas vivemos atormentados por essa grande ameaça!

Responder

Valéria Baptista Ferreira

14/09/2017 - 15h53

Olá, gostaria de saber se existe alguma petição que possa ser assinada pela população contra esse crime ambiental?

Responder

Renato Spandri

03/09/2017 - 20h22

Peruíbe tem aptidão ambiental, referência em conservação, sustentabilidade, consciência para o futuro.

Não a essa usina! Meu voto é não! Contém com meu apoio. Vamos nos mobilizar para o não!

Responder

Marcelo Dionizio

02/09/2017 - 12h50

Caro Fernando,
Boa tarde!

Fico perplexo quando vejo notícias assim, na surdina esses empreendimentos que não leva nada para lugar nenhum, aliás, compromete toda uma região, vem surgindo no nosso país e ficamos imobilizados pela falta de comprometimento da mídia maior.
Precisamos nos estabelecermos e mobilizarmos como resistência a esses desmandos governamentais, como ainda não sei, porém, é de suma importância esses relatos divulgados por pessoas renomadas como você, fazer o trabalho de beija-flor que apaga o fogo é tarefa de todas as pessoas comprometidas com causas sociais e ambientais.
Quem sabe mais uma ação popular contra essa arbitrariedade?
Vou divulgar nas mídias sociais.
Obrigado.

Marcelo Dionizio

Responder

José Ricardo Grillo

01/09/2017 - 21h02

Mais um absurdo desses canalhas.
Podem contar com meu apoio.
Precisamos nos movimentar imediatamente.
Abraços
Ricardo

Responder

Christian

01/09/2017 - 18h48

Moro aqui há 6 anos, e não gosto nada nada desse projeto.
Peruíbe não vai ficar com nada, nem uma parte da energia, nem com o gás, a unica coisa que vai sobrar para a gente vai ser a chuva ácida e o câncer.
Eu sempre falo, junta a ganância com a ignorância e dá essa merda.

Responder

Oswaldo Ozores Fernandes

01/09/2017 - 12h11

Conheço Peruíbe a muito tempo e o meu desejo foi um dia vir morar aqui e estou morando a três anos, isto porque o clima e tudo o mais com relação a beleza da mata atlântica. E agora nestes últimos meses vejo este projeto cuja finalidade nada mais será do que a destruição deste paraíso ecológico.
Já estou ingressando nessa luta contra a instalação dessa usina hidrelétrica.
Avante gente não podemos desistir temos que lutar pois somente assim poderemos salvar o nosso tesouro.

Responder

luiz otavio cruz teixeira

01/09/2017 - 11h04

Sou morador recente de Peruíbe, desde abril, ainda não muito entrosado com os movimentos locais. Mas tenho total interesse em apoiar essa causa, até mesmo porque sou vizinho muito próximo da reserva guarani Nhandeuá que sofreria com o projeto. Parece que o projeto do Eike, por exemplo, construiria um pier de quilômetros mar adentro em frente à reserva. Conheço os desígnios nefastos do peessedebê, porque morei em Caucaia do Alto, Cotia, e assisti às violentas e ilegais manobras contra a Lei Lehman de parcelamento do solo urbano, as quais acabaram por destruir a funcionalidade de turismo metropolitano do distrito para substituí-la pela de bairro dormitório da Região Metropolitana de São Paulo, num dos maiores cataclismas contra o meio ambiente e contra a população, induzida a comprar lotes sem infraestrutura, sem edificação, num lugar onde não há emprego, e fica a 61 quilometros de SP e a quase 30 kms de Cotia. Um depósito de vidas humanas. Faço tudo, desde colaborar financeiramente, até remar canoa. Um abraço.+

Responder

Juca

01/09/2017 - 08h39

Aziz Ab’Saber não é geólogo e sim geógrafo, um dos maiores por sinal.

Responder

Tiago rodrigues de sa

31/08/2017 - 23h13

Eu já coloco meu projeto ambiental a disposição
Ciclolegalsocial.wordpress.com

Estou já alguns meses organizando grupo em sv litoral sp pois o impacto será grande na região, fora o Crime ambiental que possivelmente possa ocorrer pois a região é area de preservação permanente leis estaduais e federais certamente impedirão esse empreendimento.
Mas cabe a nós se mexer ….
Ciclolegalsocial@Gmail.com
Aguardo orientações

Responder

Luiz Nascimento

31/08/2017 - 19h01

Fernando,
Total apoio ao seu chamado. Vamos nos organizar e bater de frente com essa turma de vampiros.

Responder

Eliel Pereira de Souza

31/08/2017 - 18h50

Era criança e lembro como se fosse hoje a mobilização na minha cidade, Iguape, contra a usina nuclear. Cresci com essas contradições e me tornei técnico do governo federal na gestão ambiental dessa área. Agora mais do que nunca é importante de nomes de peso como o seu, pois as instituições e a legislação ambiental estão sofrendo o pior revés da história. Não à termoelétrica, não as á privatização da natureza!!

Responder

    Bernadete Domingues

    31/08/2017 - 20h59

    É a desgraça dos nossos (d e s) governantes!! Aqui em Peruíbe, o prefeito, que, para entendimento, é do PSDB, até o presente momento ainda NÃO se posicionou contra essa desgraça!!! ( O que esperar de um tucano ?!?! ) Gostaríamos de saber a “quens” interessa. Certamente à nós, moradores da cidade, não interessa chuva ácida e, tão pouco, a contaminação das nossas águas e a morte da nossa flora e da nossa mata!! Precisamos sim, de coleta seletiva e destinação sustentável do lixo. Aqui, em Peruíbe, todo o lixo é despejado num lixão, pasmem!!! A Reserva da JURÉIA não está no município. O município de Peruíbe é que ESTÁ na Reserva da JURÉIA. Agradecemos todo apoio, divulgação e pressão para salvarmos a Reserva da JURÉIA que resiste à tantos ataques e desinteligência!!
    Usina termoelétrica ☠️ em Peruíbe?!?
    NÃO!!!

Deixe uma resposta

Recomendadas