Brasil

Esposa de Coronel Lima pagou reforma de filha de Temer com dinheiro vivo

A esposa do coronel João Baptista Lima Filho, amigo de Michel Temer, pagou em dinheiro vivo as despesas de uma reforma na casa de uma das filhas do presidente. A informação foi dada por um fornecedor da obra ao jornal Folha de S. Paulo.
A Polícia Federal investiga se a reforma foi paga com dinheiro de propina da JBS.
Coronel Lima e sua esposa, a arquiteta Maria Rita Fratezi, foram alvo da Operação Skala, que apura um esquema de corrupção que beneficiou empresas do setor portuário com a renovação de concessões públicas por meio de um decreto assinado por Temer.
O coronel foi preso e a esposa, intimada a depor. Ambos mantiveram silêncio durante o interrogatório. Antes disso, Lima adiou por oito meses o depoimento à polícia alegando motivos de saúde.
Em depoimento, o ex-funcionário da JBS Florisvaldo Oliveira afirmou que levou R$ 1 milhão a Lima, parte de um total de R$ 15 milhões em doações de campanha para Temer.
Ricardo Saud, ex-diretor de Relações Institucionais da JBS, disse em delação que Temer teria ficado com a parcela de R$ 1 milhão ao invés de usar o dinheiro para campanha.

Notícias relacionadas

  1. José Eduardo Garcia de Souza says:

    Perdão, mas:
    1) Dar crédito a qualquer coisa que Ricardo Saud, Joesley Safadão, Wesley Safadinho ou qualquer um daquela gentalha
    da JBS diga ou tenha dito após aquela maracutaia derrotada, exposta e desmoralizada montada pela Globo, Época, Janot,
    Marcelo Miller e outros é realmente difícil de aceitar.
    2) O que se observa ali, embora digno de investigação, não é exatamente o mesmo “padrão Lula”, na medida em que houve recibos emitidos em nome de Maristela Temer e, no caso de Lula, convenhamos, não houve nada emitido em seu nome quer no que toca ao triplex, quer no sítio de Atibaia.
    3) Para benefício daqueles que conseguem ler mais de uma linha após uma manchete antes de armar berreiro, vai aqui
    uma reprodução do que a Folha publicou, para que tirem as suas próprias conclusões:
    ‘Piero Cosulich, dono da Ibiza Acabamentos, uma das empresas que entregaram material na residência de Maristela, em Pinheiros, bairro nobre de São Paulo, afirmou à reportagem que Fratezi era quem levava, pessoalmente, o dinheiro na loja. “Foi Maria Rita Fratezi quem fez os pagamentos, em espécie, em parcelas. Os pagamentos foram feitos dentro da loja”, disse. “Ela [Maria Rita] vinha fazer o pagamento. Se estava dentro de um envelope, dentro de uma bolsa, não sei te confirmar”, afirmou.
    (…)
    A Folha obteve recibo referente a uma dessas prestações, emitido pela Ibiza em 30 março de 2015, no valor de R$ 12.480. O documento está em poder da PF. Embora o pagamento, segundo a empresa, tenha sido feito pela mulher do coronel, o documento está em nome de Maristela.’
    (…)
    Outro lado
    ‘Procurada pela Folha, a assessoria do presidente Michel Temer (MDB) informou que os questionamentos sobre a reforma da casa em São Paulo seriam respondidos pela defesa de sua filha Maristela. Por sua vez, o advogado dela, Fernando Castelo Branco, disse que sua cliente dará esclarecimentos a respeito do assunto somente à Polícia Federal, caso ela seja chamada para prestar depoimento. O advogado Cristiano Benzota, que defende o coronel João Baptista Lima Filho e sua mulher, Maria Rita Fratezi, afirmou que eles não cometeram nenhuma irregularidade e não respondeu aos questionamentos. A Folha enviou perguntas para a secretária de Maristela, por e-mail, no último dia 30 de março. Ela disse que não seria possível responder porque a psicóloga estava fora de São Paulo.’

Deixe uma resposta