Pastor Ariovaldo: Tenho medo de estar a assistir o retrocesso de uma nação

"Estou começando a ter medo de juiz. A ter medo de pisar num tribunal. Por não saber mais o que esperar, diante da possibilidade do subjetivo se impor."

Lembro-me que nos idos da década de oitenta um colega de igreja se formou em Direito e era uma proeza para todos nós, na época, porque a gente jovem, cristão, pobre, protestante, minoria entre os despossuídos e ter um dos nossos galgando esta posição era algo que nos fez celebrar.

E a gente começou a pensar juntos, uma vez que nós éramos parte desse grupo novo de jovens protestantes pobres que, carregados pela sua fé estavam alçando posições na vida universitária. Começamos a conversar sobre o nosso papel nessa sociedade na qual estávamos cada vez mais nos tornando protagonistas.

E eu me lembro de que eu perguntei ao meu amigo se ele como advogado defenderia uma pessoa cuja culpa soubesse com certeza. E ele disse que sim, e disse que ele entrava no tribunal pelos inocentes. Ou seja, ele estava lá para garantir que o Estado não punisse quem quer que fosse, a menos que comprovasse de forma cabal a sua culpa. Ou seja, que o papel do juiz era garantir que a lei e apenas a lei fosse aplicada. Respeitados todos os rituais de um processo. E que a defesa, o direito ‘a defesa fosse garantido de forma ampla e irrestrita.

Então naquele dia, conversando com o meu amigo eu compreendi que aplicar a justiça é garantir do ponto de vista do Direito, que só será alcançado pela lei aquele cuja culpa for cabalmente reconhecida, demonstrada pelo Estado. E que em havendo qualquer dúvida o réu deveria ser poupado das injunções inerentes. Por isso, como cidadão eu estou estarrecido com o que estou assistindo por parte do Judiciário. Me dá a impressão que a lição

aprendida pelo meu amigo nos idos de 80 não vale mais. Fico com a nítida sensação de estar assistindo a um desfile de subjetividade, quando o que se espera da Corte é a objetividade que dirime qualquer dúvida sobre a quebra da lei. Indícios não bastam, é preciso comprovação. Estou estarrecido. Porque desde há muito eu aprendi com meu amigo que um tribunal se estabelece por causa dos inocentes, não dos culpados. Um tribunal se estabelece para que se reafirme a nação que se pauta pelo estado de direito. Onde ninguém, por mais desafiado que seja à opinião pública, será condenado a menos que se comprove de fato a sua culpa perante a lei.

Estou começando a ter medo de juiz. A ter medo de pisar num tribunal. Por não sabe mais o que esperar, diante da possibilidade do subjetivo se impor.

Tenho medo de estar a assistir o retrocesso de uma nação. Da minha nação.

 

Um comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Humberto Oliveira Soares

06/10/2016 - 16h22

Infelizmente, o nosso país chegou a um situação tal que praticamente todas as suas instituições estão envolvidas em corrupção ou aquiescendo com ela. Pelo visto só há um caminho: Uma reforma geral no Estado. Quanto ao judiciário, esse perdeu completamente a credibilidade dos brasileiros e, quiçá, do mundo. Quanto ao parlamento, a credibilidade perante o povo brasileiro já não existia há muito tempo. Agora com os dois espetáculos ocorridos em abril e agosto de 2016, quando os dois sindicatos apresentaram dois espetáculos circenses, a credibilidade dos políticos desceu ao fundo do poço.
Sabe-se que a corrupção em nosso país existe há 516 anos. Todavia, tudo era feito debaixo do pano. Veja que só a partir de 2013 é que se viu criminoso de colarinho branco sendo algemado e preso. Mas existe aqui uma imprensa “FASCISTA, CÍNICA, TENDENCIOSA, MENTIROSA, FRAUDULENTA, HIPÓCRITA, ENTREGUISTA, DEMAGOGA, MERCENÁRIA, TERRORISTA, SONEGADORA DE IMPOSTOS”, com o tempo vem formando um público tão vil como ela mesma. Só acredito que este país seja sério um dia quando for feito uma severa faxina, começando por essa imprensa fascista. Temos 206 milhões de habitantes, sendo que a maioria não têm o hábito da leitura e sua distração no dia a dia é assistir televisão, jornal nacional e ver novelas. O chamado PIG-Partido da imprensa golpista se encarrega, 24 horas por dia em “FAZER LAVAGEM CEREBRAL” na população. Então o resultado é esse: O Brasileiro é o povo mais desinformado que existe.

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas