A luz venceu as trevas: MASP volta atrás e libera mostra sobre sexualidade

Por orientação do MPF, menores de idade poderão entrar na exposição acompanhados pelos responsáveis

O MASP recuou em sua decisão e vai permitir, a partir desta quarta-feira (8), a entrada de menores de 18 anos na exposição Histórias da Sexualidade, desde que acompanhados ou autorizados pelos responsáveis. Em 70 anos de funcionamento, essa foi a primeira vez que o MASP proibiu a entrada de menores em alguma mostra de arte.

De acordo com o comunicado divulgado pelo museu, o fim da restrição aconteceu por orientação da nota técnica divulgada pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, órgão do Ministério Público Federal (MPF). O texto diz que a Constituição não proíbe o acesso de menores de 18 anos a espetáculos ou eventos de nenhum tipo, desde que estejam acompanhados ou tenham autorização expressa dos pais ou responsáveis. A Constituição e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) estabelecem que o Estado deve fazer a classificação indicativa das chamadas “diversões públicas e programas de televisão”.

– O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – MASP revisou a classificação etária de 18 anos para a exposição Histórias da Sexualidade, que deixa de ser restritiva e passa a ser indicativa. Desse modo, menores de 18 anos poderão visitar a exposição desde que acompanhados por seus pais ou responsáveis – afirmou um trecho da nota.

A exposição Histórias da Sexualidade, que foi inaugurada em 19 de outubro, reúne mais de 300 obras de artistas consagrados, como Pablo Picasso e Paul Gauguin.

Leia também:

Se ressuscitasse hoje e visitasse o MASP, Pietro Bardi pediria para morrer de novo

Jorge Coli: “Esse pessoal quer botar o pensamento em uma camisa-de-força” 

 

 

Um comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

José Eduardo Garcia de Souza

07/11/2017 - 19h51

Boa! 🙂

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas