Breve resumo para quem chegou agora

Um pequeno resumo das coisas que a gente já falou aqui, para você contextualizar e parar de comentar bobagem, porque eu sei que você vai ter preguiça de ver os vídeos anteriores.

 

Ana Roxo

Eu vou fazer um pequeno resumo das coisas que a gente já falou aqui, para você contextualizar e parar de comentar bobagem, porque eu sei que você vai ter preguiça de ver os vídeos anteriores. Então, segue pequeno resumo das coisas que a gente já falou.

Primeiro, começamos abordando um tema comum da modernidade que chama desforia de classe. Desforia de classe é quando a pessoa é pobre, mas ela se sente rica. Está tudo bem, é normal, 99% das pessoas sofrem de pobreza. Porque quem é rico? É quem é dono dos meios de produção. Você é dono dos meios de produção? Não, você é pobre. Ai, mas eu me sinto tão rico. Então, é um problema psiquiátrico que você tem que tratar querido. Olha pra realidade, você é pobre. Se você tem uma lojinha com dez funcionários, você continua sendo pobre. Se você não é o Joesley ou o dono da Ambev. Se um estadista não te ligou pedindo interferências da sua empresa. Se você não tem apito pra tocar na roda do mundo, você é pobre. Junte-se a nós, vamos à luta, vamos conquistar o mundo. Resumida essa parte vamos para a próxima.

Ditadura não tem estreia. Já falamos isso, há bastante tempo. Ela já estreou, porque ela não tem estreia. Ela já começou, você não recebe a cartinha: oi começamos a ditadura. Já começou, né? O que diria Rafael Braga. O que diria Negão, que foi assassinado? Já está acontecendo. O Doria acorda moradores de rua com chatos de água. O que mais precisa para você se ligar que tem uma ditadura. Eu te avisar. Estamos numa ditadura, está bom? Vai, seguindo o próximo. Vamos passar para frente.

O mal está nos pequenos atos banais da vida. O mal não vai aparecer cheirando enxofre na sua frente, fazendo ‘hahaha, eu sou o mal’ e contando o plano maquiavélico dele. Provavelmente muitos de nós fazemos coisas más, porque está na inconsciência. Se você não perceber que têm certas coisas que produzem o mal em conjunto. Um pequeno mal vai juntando e fazendo um grande malzão. Se você não conseguir perceber isso é muita inconsciência da sua parte. O mal está no “bandido bom é bandido morto”. O mal está na banalização das desigualdades. Vai chegar o diabo na sua frente falando ‘venha’? Vai chegar uma bruxa má falando ‘come essa maçã’? Não vai chegar. Isso é história para criança. Se você fala essa frase: “bandido bom é bandido morto”, você está propagando o mal. Está bom? Entendeu? Pro próximo. Seguiu? Olha pro espelho e fala: sou pobre, sou mal, vivo numa ditadura. Vamos seguir para a próxima.

Ideologia não é só o que pensam os outros. Neoliberalismo é uma ideologia, como qualquer outra. A diferença é que ela está naturalizada. Naturalizada é diferente de natural. Natural é o que vem da natureza. Naturalizada é uma coisa que parece que seria a ordem natural das coisas, mas não é. Isso é uma coisa que a gente cresce dentro. Para você conseguir olhar outras coisas você vai ter que olhar para fora do aquário. A gente inclusive usou essa metáfora mesmo. Você é um peixinho que está dentro de um aquário achando que é o mar. Não é o mar. Dê uma nadadinha, vá para fora do aquário, olhe para fora. A vida está aí, a gente precisa mudar o mundo. Vamos seguir. Para frente, para gente continuar a partir daqui. Toda vez que você estiver tonto em casa, ai eu não sei o que pensar, assiste esse vídeo, está resumido.

3 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Adelia Sylvia Penna Ramos

23/07/2017 - 12h54

Grande resumo! Só Ana Roxo mesmo!

Responder

Ronaldo

22/07/2017 - 22h48

Muito bom…

Responder

Leonardo Leão

22/07/2017 - 20h48

Ótimo. Como de costume.

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas