Alfabetização: o fim, enfim

Q de quem manda aqui nessa porra. Quem manda aqui? É o povo? Nãooooooo. São os políticos? Nãoooooooo. É o grande capital? Siiiiiiiim. Quem manda no Brasil são as grandes corporações.

 

Por Ana Roxo

Eu quero terminar esse abecedário, eu teria muitas coisas para falar, mas eu quero terminar porque alguma coisa eu vou ter que fazer até o fim.

 

Q de quem manda aqui nessa porra. Quem manda aqui? É o povo? Nãooooooo.

São os políticos? Nãoooooooo. É o grande capital? Siiiiiiiim. Quem manda no Brasil são as grandes corporações.

 

R de radical. Quando foi que radical passou a ser um xingamento? Quando a gente parou de entender o que significa ser radical. Então vamos voltar ao significado original da palavra sendo radical, porque radical é raiz. Então, alguém que é radical é uma pessoa que está vinculada com a raiz das coisas ou a raiz dos sentidos ou a raiz dos significados. Por isso que é importante a esquerda voltar a sua raiz. Por isso que é importantes a gente voltar ao significado real das coisas. Não ficar se estapeando por idiotice.

 

STF, STJ, Supremo Tribunal, a gente precisa começar a questionar isso. Começar a questionar como o são essas indicações, quanto ganham essas pessoas, que privilégios têm essas pessoas. Porque que ministro do Supremo, juiz do Supremo nunca foi juiz antes. A gente precisa fazer umas mudanças nisso aí pessoal. Reforma política inclui o STF.

 

U vou falar uma coisa muito velha, por ser velha não perde a sua razão de ser. Precisamos voltar ao radical das coisas. A união faz a força. A única perspectiva da gente sair dessa lama que a gente está é a união do povo. É a união das pessoas. União dos indivíduos contra essas corporações. Contra essa máfia, essa quadrilha. Entenda quadrilha como quiser.

 

V de vote. Vote e lute para que seu voto tenha validade. O voto é o jeito da gente dar a nossa opinião. Precisa de um reforma? Precisa, mas a reforma também tem que ser democrática. Numa democracia a gente vota. Vote, se interesse pela política. Procure em quem você vai votar. Estuda os planos de governo.

 

X a grande incógnita sobre o nosso futuro. Eis o X da questão. O que acontecerá conosco? Vamos nos unir? Vamos ser sugados pelo grande capital?

 

Z é nessa hora que você percebe que a pessoa tem que ter imaginação. Uma coisa com z poderia ser o que? Zabumba, zebra, zaza, zabelê, zumbi, besouro. Z de Zumbi. Zumbis estão dominando o mundo. Zumbis vão passar fome, porque zumbis se alimentam de cérebros e cérebro está em falta.

 

Encerramos aqui nosso abecedário para poder falar de outro assunto. Quase não tem assunto para falar no Brasil. Está sem assunto.

 

2 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Felipe Carvalho

05/06/2017 - 13h40

Adoro você e seus programas, Ana Roxo!

Responder

Clá

04/06/2017 - 23h00

Oi Ana: muito bom o capítulo final da Alfabetização em Massa.
Vou aproveitar o trecho que você falou em “(…) a esquerda voltar a sua raiz. Por isso é importante a gente voltar ao significado real das coisas. Não ficar se estapeando por idiotice.”
Quero deixar como sugestão de leitura, o artigo intitulado “A linguagem como ferramenta para a dominação: a política da linguagem e a linguagem da regressão política”, escrito por James Petras. Neste artigo, o autor mostra como o sistema manipula a significação das palavras e distorce o sentido do discurso, como o objetivo de “(…) obscurecer as verdadeiras relações sociais de exploração brutal, o papel central das classes dominantes no retrocesso das conquistas sociais e os profundos laços entre a classe capitalista e o Estado.” Não deixe de ler. É realmente muito útil nos tempos atuais. Abraço, Clá.

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas