Temer reúne presidentes de partidos e pede apoio à reforma da Previdência

Governo ainda não tem os votos suficientes para aprovar a reforma, mas as lideranças dizem que podem conseguir os 308 votos necessários.

O presidente Michel Temer reuniu-se na noite de domingo (03) com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com presidentes de partidos da base governista para tentar conseguir os votos necessários para aprovar a reforma da Previdência ainda em 2017. O recesso parlamentar começa em 23 de dezembro e vai até dia 1º de fevereiro.

Foram à reunião, seguida de jantar na residência oficial da presidência da Câmara, 11 presidentes de partidos da base governista, líderes aliados, ministros, técnicos da Previdência, deputados e senadores.

Durante a reunião, Temer pediu apoio aos presidentes e lideranças partidárias. De acordo com o vice-líder do governo, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), o presidente usou o argumento de que, se a reforma não for aprovada, pode “estancar e prejudicar a retomada do crescimento econômico do Brasil”.

Já o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), declarou que a reunião foi muito proveitosa e serviu para uma avaliação da votação da proposta com a maioria dos presidentes de partidos da base aliada.

“A gente sai da reunião de hoje [domingo] com a expectativa muito grande de conseguir reunir os votos dos partidos da base, que somam mais de 320 votos [na votação da reforma da previdência]. Acho que podemos, de forma organizada, ter condições de trabalhar a votação da previdência”, afirmou.

Tanto Maia como Perondi reconhecem que o governo ainda não tem os votos suficientes para aprovar a reforma, mas dizem acreditar que os votos estão aumentando. São necessários 308 votos para aprovar a reforma.

*Com informações da Agência Brasil.

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas