Povo Sem Medo ocupa Paulista contra compra de votos na Câmara

Protesto denuncia compra de votos por emenda parlamentar para salvar Temer e ministros da segunda denúncia; "

Enquanto os deputados aguardavam pelo quórum mínimo para votar a denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha, militantes da Frente Povo Sem Medo ocuparam a avenida Paulista, em São Paulo, para protestar contra o governo.

A manifestação começou por volta das 17h desta quarta-feira (25) e está concentrada perto da estação Consolação do Metrô, linha verde, onde está o escritório da Presidência da República em São Paulo.

“São milhares de pessoas que tomam as ruas, já fechamos a paulista, para dizer ‘Fora, Temer’ e denunciar este abuso, esta compra de votos, este acordão que está sendo costurado em Brasília”, disse o dirigente da Povo Sem Medo Guilherme Boulos.

O governo Temer é acusado de comprar votos com emendas parlamentares para se livrar da segunda denúncia, de obstrução de Justiça e organização criminosa.

Segundo Boulos, participam da manifestação membros de diversas ocupações da Frente, além de sindicalistas e militantes de movimentos sociais. Na Paulista, há uma televisão transmitindo ao vivo a sessão da Câmara.

“O povo deixa o seu grito, Fora Temer e Diretas Já”, afirmou Boulos.

Veja abaixo imagens da manifestação.

2 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Aurelio Gonzalez Laborda

26/10/2017 - 09h54

O indivíduo acima, ou é alguém ligado ou beneficiário do esquema da quadrilha Temer ou é um BEÓCIO.

Responder

José Eduardo Garcia de Souza

25/10/2017 - 18h49

“Povo Sem Medo ocupa Paulista”? Francamente… Ali não tem nem um sexto de um quarteirão. Se tivesse mais gente do que o punhado de militantes, histéricos e desocupados que ali estiveram a câmera teria mostrado planos bem mais abertos do que aqueles. Esta é mais uma das inúmeras armações do Guilherme Boulos e seu grupo de baderneiros a soldo para promoverem arruaças, ludibriarem incautos e posarem de vítimas.

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas