O Poder da República tornou-se palco de histrionices e uma passarela de vaidades fora de controle

Em passado recente estávamos lutando para construir uma democracia a partir do trabalhador; agora estamos tentando salvar o nosso país de se tornar mera terra arrasada. Por Pastor Ariovaldo Ramos

Estamos diante de quadros preocupantes: jornalistas estão sendo constrangidos no exercício da sua profissão, inclusive com solicitação explícita de demissão, por parte de políticos que se sentem ameaçados pela liberdade de imprensa; sem contar o mandato de condução coercitiva de jornalista, na, aparente, tentativa de quebra de sigilo de fonte, cuja preservação é sagrada no jornalismo.

A prática da demissão a pedido de políticos, não é nova, há políticos que são famosos por exigir a demissão de jornalistas que entendem ser-lhes desafetos. Contudo, o Judiciário impor, por coerção, o depoimento de um jornalista, alegando que o depoente foi constrangido por não ter diploma universitário na área, é, no mínimo, acintoso e absolutamente inaceitável, não só pelo desacato à liberdade de imprensa, como pela judicialização do estado de exceção.

Por falar em Judiciário, o novo ministro do STF, que recém tomou posse, cuja eleição não merece comentários, encontrará um Judiciário em pé de guerra.

O Poder da República, que deveria ser caracterizado pela discrição, tornou-se palco de histrionices e uma passarela de vaidades fora de controle e, aparentemente, incontornáveis.

E as sondas para águas profundas são vendidas, por 5% do valor, para os que adquiriram o pré sal a preço de bananas.

Enquanto isso uma nova lei, a da terceirização, é aprovada por quem deveria representar o povo.

E o pretenso foi a churrascaria ao invés de por ordem no açougue.

Estes quadros nos dão conta do nível de desgoverno em que se encontra o país.

Em passado recente estávamos lutando para construir uma democracia a partir do trabalhador; agora estamos tentando salvar o nosso país de se tornar mera terra arrasada.

Nosso luto vem do verbo lutar!

2 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Leonardo Leão

26/03/2017 - 12h29

Certeza

À corja

Leonardo Leão

Adaga aos dentes
indago dados
e ciganas:
onde estão os outros?

Recife, 26 de março de 2017

Responder

João S. Protázio

24/03/2017 - 07h46

Enfim, um pastor lúcido, em proselitismo, verdadeiro e sensato nos seus comentários. Parabéns!

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas