Moro impede depoimento de Tacla Duran em processo contra Lula

Juiz diz que palavra de ex-advogado da Odebrecht "não é digna de crédito"

O juiz Sergio Moro impediu mais uma vez que Rodrigo Tacla Duran fosse ouvido no processo em que o ex-presidente Lula é acusado de receber vantagem indevida da Odebrecht.

A defesa de Lula havia requerido a convocação do ex-advogado da Odebrecht para que ele testemunhasse sobre documentos obtidos pelo Ministério Público Federal. Tacla Duran tem acusado publicamente a empreiteira de ter entregue documentos falsos à Operação Lava Jato como provas de repasses de propinas.

Para negar o depoimento, Moro disse que a palavra de Duran “não é digna de crédito” por ser “uma pessoa envolvida, em cognição sumária, em graves crimes e desacompanhada de quaisquer provas de corroboração”, segundo reportagem do UOL.

Leia também:

Duran: “Procuradores ameaçaram minha família para conseguir delação”

Damous e Pimenta entrevistam Tacla Duran. Pode sobrar para Sergio Moro

Apesar do advogado ter feito parte do “Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht”, tido como o departamento de propina da construtora, o juiz federal considera que não há provas de que tenha se envolvido no objeto específico da ação penal. Além disse, Moro alega que o depoimento por videoconferência seria uma diligência “custosa e demorada”.

Para o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, “negar sob o fundamento de que a palavra dele não merece credibilidade por estar sendo acusado da prática de crimes é absolutamente contraditório com a própria condenação imposta pelo juiz ao ex-presidente Lula no caso do tríplex, que está baseada na desconexa e frágil versão de um réu confesso, Leo Pinheiro”.

Tacla Duran vai apresentar nesta quinta-feira (30), em depoimento na CPI da JBS, fotos de mensagens que teria trocado com o advogado Carlos Zucolotto, amigo do juiz Sergio Moro e acusado de intermediar negociações paralelas com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

7 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Ademir Rodrigues paixão

03/12/2017 - 12h30

Esse tucano moro nunca mi enganou só de não fazer nada contra a irmã do Aécio liberar a mulher do cunha e a do Cabral já dava pra saber que beleza não verá esse tal justiceiro

Responder

Ze roberto

30/11/2017 - 21h26

Sergio moro interrompia o depoimento de tacla duran porque eli si sentiu acuado!!

Responder

Edmundo

30/11/2017 - 19h05

Nossa…. será perdi meu herói……

Responder

Fabio

30/11/2017 - 16h55

Que crédito pode ter um criminoso que é foragido da justiça brasileira, nem deveria ser ouvido.

Responder

    Sulavan Fornazier

    30/11/2017 - 19h38

    Se for um criminoso que faz depoimento contra Lula, não só tem crédito como não precisa nem apresentar provas. Mas, como ele é um criminoso que prestaria depoimento a favor de Lula, não tem crédito nenhum. E assim, foda-se o devido processo legal e nosso estado de direito. O que interessa é satisfazer o ego dos indignados cidadãos de bem que, com sua divina clarividência e sabedoria, dispensa provas e condena quem não lhe é de afeto, por puro preconceito ou inveja. Torça para que esse sistema judicial parcial e perseguitório não se volte contra você. Imagina… Não, não imagina, é muito pra você se colocar no lugar do outro.

    Rosana

    04/12/2017 - 00h41

    Se seguirmos o seu raciocínio, o depoimento do Léo Pinheiro contra Lula deveria ser inválido tbm. Porém nesse caso contra o Moro, ele tem provas enquanto que o Léo não tinha. Parcialidade#nao#Moro#na#cadeia

Douglas Ferreira da Costa

30/11/2017 - 15h15

“Infeliz a nação que precisa de heróis.”
― Bertolt Brecht

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas