Janot denuncia Temer e todo o seu Estado-Maior

Entre os denunciados estão Eliseu Padilha, Moreira Franco, Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves, Geddel Vieira Lima e Rodrigo Rocha Loures. Temer teria cometido obstrução de Justiça ao dar aval para Joesley Batista subornar Lúcio Funaro e Eduardo Cunha. Já organização criminosa seria por atuar na “quadrilha do PMDB na Câmara”.

A três dias de entregar o cargo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) no fim da tarde desta quinta-feira (14) uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer pelos crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa.

Outras oito pessoas são alvos da mesma denúncia: Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, Moreira Franco, ministro da Secretaria-Geral, Joesley Batista, dono do grupo JBS, Ricardo Saud, executivo do grupo J&F, Eduardo Cunha, ex-deputado, Henrique Eduardo Alves, ex-deputado e ex-ministro, Geddel Vieira Lima, ex-ministro, Rodrigo Rocha Loures, ex-deputado e ex-assessor de Temer.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

De acordo com o Janot, os políticos denunciados arrecadaram mais de R$ 587 milhões em propina, de empresas e órgãos públicos, como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica Federal, Ministério da Integração Nacional, Ministério da Agricultura, Secretaria de Aviação Civil e Câmara dos Deputados.

O STF poderá analisar a denúncia contra Temer somente se a Câmara autorizar. Em agosto, os deputados já rejeitaram a primeira denúncia, por corrupção passiva.

Essa segunda denúncia surge depois de a PGR abrir um processo de revisão da delação premiada de executivos da JBS, cujos benefícios foram temporariamente suspensos em razão de o Ministério Público Federal entender que pode ter havido omissão nas informações.

A defesa de Temer chegou a pedir ao STF o afastamento de Janot de investigações contra ele e também a suspensão de uma nova denúncia, mas a Corte negou, em votação realizada na quarta-feira (13).

Temer teria cometido obstrução de Justiça, na interpretação de Janot, ao dar aval para Joesley Batista subornar Funaro e o ex-deputado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha.

Já organização criminosa seria por sua atuação na “quadrilha do PMDB na Câmara”. Temer nega as acusações.

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas