General ameaça fazer intervenção militar no Brasil

"Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso", afirma general.

Repercute nas redes sociais um vídeo em que o general da ativa no Exército, Antônio Hamilton Mourão (secretário de economia e finanças da Força) afirma que “uma intervenção militar poderá ser adotada se o Judiciário não solucionar o problema político do Brasil”.

A ameaça foi feita em uma palestra promovida pela maçonaria na sexta-feira (15).

O general afirma que chegará o momento em que os militares vão precisar impor a ação militar. Essa “imposição não será fácil”. Diz também que seus “companheiros” do Exército avaliam que não é o momento para realizar a intervenção.

A senadora e presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, emitiu uma nota de repúdio às declarações do militar: “Ao pregar publicamente uma intervenção das Forças Armadas sobre as instituições da República, um novo golpe militar, este oficial não só desrespeita os regulamentos disciplinares, mas fere frontalmente a Constituição e ameaça seriamente a Democracia”.

Abaixo, o vídeo do general.

6 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

andre

21/10/2017 - 23h15

Total apoio ao general, tive a honra de servir o exercito como soldado sob seu comando em ijui rs no 27 gac um homem honesto e correto em sua posicao e com total e sem duvidas que o melhor para o brasil seria isto

Responder

Fabio

22/09/2017 - 03h09

Ditadura nunca mais !!!

Responder

Sausa

19/09/2017 - 11h17

Esta senadora deveria, no mínimo, respeitar as Forças Armadas. Golpe seria se as Instituições estivessem funcionando normalmente, o que não está acontecendo. Todos sabemos que a descrença tomou conta dos brasileiros em relação aos seus representantes devido as recheadas notícias de corrupção dia após dia. A fala do General é a voz que se ouve das pessoas de bem nas residências, nas esquinas das ruas, nos bares, nas praças, no serviço, etc… ou seja, todos cansados devido tanta roubalheira; as palavras do General é o anseio do povo sofrido que almeja por melhoras. É evidente o descontentamento da senadora, pois, integra um partido afundado até o pescoço em ilícitos de corrupção. Uma possível Intervenção Militar Constitucional certamente colocaria um fim na farra, isto é, um freio no desvio do suado imposto do trabalhador brasileiro! Portanto, esse desgosto da senadora, em atribuir a fala do General de “golpe” não engana mais o povo brasileiro de bem! Não seria mais ético e racional para a senadora pular do barco enquanto há tempo ou vai preferir afundar junto com o barco? Quem souber de um político que goste de um militar fale comigo!

Responder

Marcio Nascimento

18/09/2017 - 18h19

Golpe militar no Brasil (na América do Sul toda) costuma acontecer (em 100% dos casos) quando o Governo civil se desalinha em relação a política estadunidense. O contrário seria novidade!

O Governo atual entregou as reservas de petróleo, está se esforçando ao máximo para entregar a Amazônia, paralisou todo investimento em modernização das FFAA – prendeu, em regime perpétuo, até o almirante responsável por colocar o Brasil entre os países detentores da tecnologia nuclear! E mais: esse Governo ainda vai favorecer o sistema de previdência privada, para alegria dos bancos… Golpe militar contra um governo desse é impossível! Só se surgisse uma espécie de exército popular, o que também parece ser bastante impossível de acontecer.

Responder

José Eduardo Garcia de Souza

18/09/2017 - 12h51

Isto não vai acontecer. Ponto. E nem vale a pena ouvir o que diz Gleisi “Barraco é Comigo” Hoffmann.

Responder

Rita silva

18/09/2017 - 11h10

Lamentável…,, exército e sua belíssima história de crimes, e corrupção…. ter a audácia de pronunciar tal aberracao…. lugar de soldado e’ no quartel, proteger o país e seus cidadão… guardar nossas fronteiras e riquesas !!!!

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas