Damous e Pimenta entrevistam Tacla Durán. Pode sobrar para Sergio Moro.

Deputados prometem revelações bombásticas do ex-advogado da JBS e afirmam que as declarações de Tacla Durán deixam em "situação delicada", entre outros, o juiz Sergio Moro e o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima Paludo

Os deputados Paulo Pimenta (PT-RS) e Wadih Damous (PT-RJ) foram até a Espanha conversar com Rodrigo Tacla Durán, o ex-advogado da JBS, que afirma ter provas de irregularidades ocorridas na Operação Lava Jato. Os deputados prometem em breve divulgar os documentos que comprovam os abusos cometidos por agentes da Operação e afirmam que as declarações de Tacla Durán deixam em “situação delicada”, entre outros, o juiz Sergio Moro e o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima Paludo. Damous e Pimenta falaram com exclusividade ao Nocaute.

Imagens: Lula Marques

 

Paulo Pimenta: Em função de buscar documentos, depoimentos, enfim, mais elementos que possam ajudar as investigações das quais estamos participando sobre a CPI da JBS, da Odebrecht, sobre a maneira como estão sendo feitas delações premiadas no Brasil, nos deslocamos até a Espanha para fazer aquilo que infelizmente as autoridades não estão fazendo.
Lá nós buscamos esses documentos e depoimentos, um deles do advogado Rodrigo Tacla Duran.

Wadih Damous: Com o dr. Rodrigo, ex-advogado da Odebrecht, e que concedeu entrevistas a vários blogs relatando questões, fatos, episódios gravíssimos que comprometem a credibilidade da chamada Operação Lava Jato e de seus condutores. O dr. Rodrigo Tacla Duran não só reiterou aquilo que ele já havia dito, como forneceu provas. O que deixa em uma situação delicada, por exemplo, o juiz Sergio Moro, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima Paludo e mais diversos integrantes da Operação Lava Jato. Com mais vagar, eu e Pimenta vamos sentar para catalogar os documentos, sistematizar e disso será dado a ciência à toda sociedade dentro de poucos dias.

Paulo Pimenta: Nós também colhemos um depoimento do advogado Rodrigo Tacla Duran, de mais de uma hora, onde ele reafirma e traz detalhes de todas as acusações. Como o deputado Wadih Damous já explicou, para cada uma dessas acusações existem documentos comprobatórios que dão sustentação para esses fatos. Por conta disso o nosso balanço é positivo e nós entendemos que as informações obtidas serão fundamentais para os esclarecimentos de uma série de questões nebulosas que envolvem essas investigações.

Wadih Damous: E aí é importante que todos saibam que hoje eu e o Paulo apresentamos um requerimento a CPMI no sentido de ouvir o doutor Tacla Duran. O requerimento foi aprovado e ele será ouvido por teleconferência. Então, ao vivo e em cores, o Tacla Duran vai confirmar e nós aqui com suporte em documentos estaremos confrontando o que diz Tacla Duran com aquilo que pode ser demonstrado.

7 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fabio Cezar Montibello

04/11/2017 - 01h58

Pelo que entendi existem provas… Se existem provas não serve para a lavajato…

Responder

andrade

03/11/2017 - 12h36

Excelente iniciativa dos deputados Wadih
Damous e Paulo Pimenta. Quem quer chegar à verdade age assim. Chega de disse-me-disse e subterfúgios, de investigações com destinatários previamente escolhidos, condenações sem prova mas apresentadas como um grande espetáculo na mídia criminosa que condena grande parte da população à demência intelectual.

Responder

Regina Maria

02/11/2017 - 11h19

A chamada do texto diz que Rodrigo Tacla teria sido advogado da JBS. Parece, por tudo que já li, que teria sido advogado da Odebrecht; que em sua conversa aos membros da CPI da JBS – Damous e Pimenta – denuncia falsos extratos da Odebrecht usados como provas pelo MPF de Curitiba em processos da Lavajato; que existe conluio entre membros do MPF, advogados e juiz da 13 Vara de Curitiba para prender pessoas suspeitas de participar em esquemas de corrupção, oferecer-lhes, por advogados enfronhados na operação, delação premiada, desde que suas informações combinem com a estória montada pelo MPF do Paraná. Ativismo político de agentes públicos que laboram contra o Estado de Direito. É preciso apurar e punir, PGR.

Responder

Sem esperança

01/11/2017 - 21h11

Prezados, boa noite. Eu sempre tive a determinação como um item necessário a sobrevivência. Porém, muito tristemente não vejo qualquer sinal de recuperação ou solução da entrega do país. Poucos são os que tentam resistir. O próprio povo só quer viver da face book e academia, e de quebra ver a Globo. Acabou, o mal venceu e entramos nas trevas por mais de meio século. O povo foi dominado, manipulado e idiotizado. Vai aumentar a merda com a redução das verbas na educação. Então, força pras próximas gerações tentarem recuperar o país.

Responder

    Ubiracy

    02/11/2017 - 16h44

    O poder da globo em manter o povo desinformado e iludido é o motivo do que parece ser “apatia popular”. Acredito ser nossa obrigação (nós que sabemos nos defender desse domínio), não desistirmos jamais por que isso confirmaria a vitória desses canalhas manipuladores.

C.Poivre

01/11/2017 - 21h06

O “presentão” dos golpistas aos Servidores Públicos, que acabam de comemorar(?) seu dia (28/10):

https://caviaresquerda.blogspot.com.br/2017/10/governo-golpista-anuncia-diminuicao-do.html

Responder

C.Poivre

01/11/2017 - 20h04

Está com problemas? Matou alguém e foi ao cinema? Pegou um dinheirinho que não era seu? Foi para um presídio Federal? Está na justiça por qualquer motivo?
Seus problemas acabaram!

MINISTRO G.MENDES (vulgo Beiçola)
Telefone: (61) 3217-4175
E-mail: mgilmar@stf.jus.br
E-mail:audienciasgilmarmendes@stf.br

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas