Começou o desembarque?

Primeiro nome do PSDB a abandonar o governo Michel Temer, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, pediu demissão nesta tarde. A saída acontece dois dias depois de Aécio Neves declarar que o partido sairá do governo "pela porta da frente, como entramos”.

O ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), pediu demissão nesta segunda-feira (13). É o primeiro tucano a desembarcar do governo Michel Temer após o racha no partido.

Em sua carta de exoneração, Araújo disse que no PSDB não há mais apoio para que ele continue no cargo.

O presidente afastado do PSDB, senador Aécio Neves, afirmou neste sábado, durante convenção em Belo Horizonte, que o partido deverá, em breve, sair do governo Michel Temer. A declaração é uma guinada do mineiro, até então defensor da aliança. A fala aconteceu em momento de turbulências internas do PSDB. Na última quinta-feira Aécio destituiu Tasso Jereissati (CE) da Presidência interina do partido, para quem o PSDB deve sair do governo.

Aécio disse, porém, que a sigla defina o momento certo para o desembarque. “Há um convencimento de todos nós que está chegando o momento de realmente da saída. E quero aqui sugerir, […] aos dois candidatos colocados, o governador Marconi Perillo e o senador Tasso Jereissati, que convoquem os ministros do PSDB para uma reunião e definam com eles, de forma clara, o momento desta saída”, disse o senador.

Um comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

José Eduardo Garcia de Souza

13/11/2017 - 20h11

O que está ocorrendo é o PSDB sendo “desembarcado” do governo, já que:
1. No caso da saída do Bruno Araújo, o efeito foi exatamente o oposto do que alguns queriam e esperava: o dólar não subiu, a bolsa disparou e aumentaram d níveis de confiança de que as reformas política, fiscal e da Previdência vão ocorrer.
2. Um levantamento do Paraná Pesquisas de hoje diz que 70,5% dos eleitores do Brasil aprovam o desembarque do PSDB do governo de Michel Temer.

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas