CETESB indefere pedido de licenciamento de termoelétrica em Peruíbe

Usina a gás natural teria capacidade 1700 mW e seria construída na reserva ecológica da Juréia

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) indeferiu o pedido de licenciamento ambiental da usina termoelétrica em Peruíbe, litoral de São Paulo. O projeto é da empresa Gastrading Comercializadora de Energias S/A.

Em novembro, a Câmara dos Vereadores de Peruíbe aprovou o Projeto de Lei 46/2017, que proíbe a construção de empreendimentos que coloquem em risco o meio ambiente, como a usina termelétrica. A usina a gás natural teria capacidade de 1.700 megawatts, a maior desse tipo dentro de uma área urbana no País.

Segundo o ambientalista Plínio Melo, o maior impacto seria o efeito da chuva ácida, que degradaria um dos últimos remanescentes contínuos de Mata Atlântica no Estado de São Paulo: a Estação Ecológica da Juréia.

De acordo com o parecer técnico, a área de 180 hectares percorre a zona de amortecimento de dois parques estaduais, três áreas de proteção ambiental e vastas áreas hoje ocupadas por indígenas. Ainda de acordo com o documento, a usina ficaria a menos de cinco quilômetros de distância de Piaçaguera, área ocupada por índios. O gasoduto de distribuição e as linhas de transmissão percorreriam o entorno das áreas indígenas de Itaoca, Guarani do Aguapeú e Rio Branco.

Leia também: Usina de Alckmin ameaça santuário ecológico da Juréia

 

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas