ANA ROXO: PORQUE SE OCUPA

'O que faz uma juventude se não mudar o mundo?' Ana Roxo explica a mobilização extraordinária dos secundaristas em todo o Brasil.

11 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fabiano Vasconcelos Borges

07/11/2016 - 19h50

Concordo com a Ana Roxo

Responder

Tânia Franco

06/11/2016 - 13h04

Professor que não percebe a relevância do protagonismo dos alunos no debate político de seu país, apropriando-se dos destinos da sua nação, é apenas professor. Jamais foi educador!

Responder

    Edson Ferreira da Silva

    06/11/2016 - 18h34

    O engraçado é que estes seres, que se dizem cidadãos e educadores, fomentam o desenvolvimento de práticas que levam ao protagonismo juvenil, mas quando este protagonismo é visível, através destas ações de ocupação, a crítica é severa. Ora, ou estes “educadores” estão brincando em suas carreiras ou sofrem de alguma doença mental grave.

Denis

06/11/2016 - 09h59

Perderam no voto. Náo podem por sua cara corrupta. Usam adolescentes.

Responder

    Allex

    06/11/2016 - 21h56

    Como é que é? “Perderam no voto”? Quem perderam? Houve um golpe nesse país. Roubaram 54 milhões de votos. Desde então, o estado de exceção avança a patadas largas! Os corruptos são os bandidos que hoje estão na presidência da república e no judiciário, todos devidamente protegidos por rede globo e comparsas do PIG. Acorda, poliana! Antes que te matem enquanto está dormindo e sonhando.

Sergio Govea

05/11/2016 - 23h41


Primeira vez, postando neste Blog.

Boa noite. Hoje, sábado, 5 de novembro de 2016.

O filme reflete a renitência de se fazer de vítima.

Foi assim na época do golpe e, ao que parece, será assim por muito tempo.

O que vige é o discurso único de que as ocupações surtem resultados “positivos”, porque a juventude … embora muitíssimo tardiamente… resolve protestar contra uma PEC.

Mas, quais resultados “positivos” seriam esses ?

O filme mostra , ou tenta mostrar, uma juventude oprimida por um Estado golpista, violento… um Estado de exceção. Fica claro, pelo filme, que
a juventude é vítima e o Estado golpista é o mal que a aflige.

Mas, não é bem assim.

Há algumas dúvidas pertinentes.

Onde estava essa juventude no dia 17 de abril de 2016 ? Qual foi a manifestação que essa juventude externou no dia 17 de abril de 2016 ?

Por que apoiam o protesto, que se diz protesto, por causa de uma PEC ?

Ora, se a malfadada legislatura 55 aprovou o afastamento da única e legítima presidenta deste país, sem que houvesse qualquer crime de responsabilidade, por que não aprovaria qualquer outra coisa ?

Quem colocou a legislatura 55 dentro do Congresso Nacional ? Não foi o povo ? Não foi a democracia, a tão decantada instituição popular, que elegeu majoritariamente Cunhas, Bolsonaros, Felicianos, Paulinhos, Titiricas, Mendonças, Aécios, Renans e outros entes avessos à cidadania e à emancipação social / tecnológica deste país ?

Não foi o povo, democraticamente, que transformou 54.501.118 votos em 172 votos na Câmara e 27 votos no Senado ?

Então, o protesto desses jovens não está ocorrendo, por causa de uma PEC. Obviamente que não.

E eu fico espantado com a “pasteurização do discurso”….. Alguns ( não poucos, devo confessar ) já me deletaram por dizer que o “discurso único” é uma movimentação de direita.

Ora, mas o “discurso único” é da esquerda, pois incentiva protestos, atos ( a esquerda ama duas coisas: fazer ato e fazer reunião ) e ocupações. É uma tremenda bobagem dizer que o “discurso único” é uma movimentação que obra pelo Estado Liberal. Será mesmo ?

O filme entoa o “discurso único”. Justifica , como sempre, o “discurso único” , pondo a culpa no Estado….. Estado esse gestado por um Parlamento, democraticamente e justamente eleito pela mesma sociedade que o “discurso único” NÃO encanta jamais !

—————————————

Será que esses que se dizem de esquerda ainda não perceberam que o “discurso único” não foi capaz de emancipar o Brasil socialmente e tecnologicamente desde 1922 ?

A maior movimentação da dita esquerda se deu através da Coluna Prestes.

A Coluna pretendia “conscientizar” a massa proletária brasileira dos ares que sopravam desde a Rússia de Janeiro de 1905 / Outubro de 1917.

E a grande constatação é a de que a Coluna não conseguiu absolutamente nada que não fosse / seja uma honrosa referência histórica.

O “discurso único” serve para enfeitar blogs ditos progressistas, mas é renitente ao não tocar no principal ponto que é a existência de contumazes oligarquias dentro do Parlamento.

Os manifestantes se tornaram os tais inocentes úteis de Lênin, ao se verem cooptados pela dita esquerda…. a mesma dita esquerda que apoiou deputado golpista ( PSDB Pernambuco ) nessas últimas eleições para prefeito.

( https://www.youtube.com/watch?v=PmO6OL1ZfKM ) É ou não é uma desmoralização ?

Fui duramente criticado, pelos que se dizem de esquerda, ao dizer, numa escola de Taguatinga, que eles não estavam ali por conta de uma PEC e sim por conta das nefastas consequências da desídia geral quanto ao Voto ao Parlamento.

Por que não há , nessas ocupações, a permissão daqueles que cooptaram os estudantes , para que se fale dos atuais quatro bilhões e duzentos milhões de reais pagos por dia ( é por dia ) a uma inauditável dívida pública ?

E quanto à votação da enorme matéria infraconstitucional, pendente há quase 28 anos ? Uma Constituição sem regulamentação há quase 28 anos não seria “inconstitucional” em si mesma ?

Por será que esses temas não integram o discurso da ” Nocaute TV ” ?

Por que será que se opta sempre pela mesmice de um discurso que se marginaliza ao tentar marginalizar um Estado criado e reeleito eternamente pela mesma sociedade que agora reclama ?

Por que não há , nessas ocupações, a permissão daqueles que cooptaram os estudantes , para que se fale da importância ( isso sim ) de uma ampla campanha pelo voto cidadão ao Parlamento, a fim de que a tragédia da legislatura 55 não se repita em 2018 ?

Qual é o medo que o “discurso único” tem do debate ?

https://www.youtube.com/watch?v=G-xZCMbp56o

Não sou contra atos e ocupações. Mas, se ato e ocupação adiantasse alguma coisa, Dilma estaria em Palácio até o último dia do mandato dela.

Ato e ocupação que sequer tangencie os reais problemas é catarse … Não é política.

Sergio Govea

sg@pcsa.com.br

=================================================================================================

Responder

    Allex

    06/11/2016 - 21h49

    Há tempos não lia tanta bobagem em um único comentário. O sujeito atira para todos os lados, confunde alho com bugalho (ou seria com bagulho mesmo?), enfia um monte de “não argumentos”, diz que é contra isso, a favor daquilo etc. Para piorar, compara as ocupações com outras iniciativas do passado remoto e recente, como se fossem coisas excludentes, ou sugerindo que já é tarde, que tem gente grande dando guarida etc. É claro que tem. Contudo, o que importa são os motivos. Além disso, alguém acha que os jovens fascistinhas da extrema direita não têm suporte pesado de fascistões, incluindo grana, muita grana, talvez até do exterior? Lá pelas tantas, o triste comentador confronta as ocupações com a ignorância de milhões de eleitores ao terem votado nos bolsonaros da vida, como se a análise fosse simples assim. Não vou responder a tantos “não argumentos” porque já cansei tendo que encarar as tolices do “não professor” WW aí embaixo. Enfim, alguém aí mais descansado poderia dar água pra esse cara?

Wesley Werner

04/11/2016 - 01h46

Com todo respeito à quem defende as ocupações como instrumento de luta. Só concordo com a fala da distinta comentarista, sobre a falta de estrutura do ensino no Brasil, algo que todos nós vivenciamos, ou seja mais do mesmo… Como professor de História, e esta ciência é constantemente pensada e reescrita de acordo com os interesses dos grupos que dominam o poder, seja direita ou esquerda. Posso afirmar que todas as vezes que a juventude se propôs a “mudar o mundo”, tivemos ações destrutivas, citei algumas em comentários anteriores. Por quê? Porque a juventude sofre da falta de maturidade em analisar o contexto real da situação, logo atuam movidos pela paixão, sendo plenamente condicionados por adultos movidos com interesses particulares. E, assim quanto aos demais argumentos apresentados são tão profundos como um pires e passíveis de serem derrubados com um cuspe dado à dois metros de distância. Desejo que esta moça explique esses argumentos (que dão nocaute apenas na lógica e na realidade) para mãe do jovem morto numa ocupação, por outro jovem, após consumo de entorpecentes, e pergunte para ela se a ocupação é pacífica… Recomendo até que assistam, não só o vídeo da estudante do discurso decorado, que tem seu progenitor filiado a partido político, mas o desta mãe. É algo esclarecedor. Por fim, tive minha oportunidade de participar de movimentos estudantis, me identifico com o sentimento de mudança destes jovens, só que vejo, que este não é o melhor recurso. E como não luto hoje, não dou aval para que outros lutem em meu lugar. Para mim, o nome disso é comodismo, ou pura covardia. Somos covardes, e passamos a bola para molecada lutar a nossa guerra. E, usar adolescentes com este fim, ou outros interesses partidários e políticos, não pode ser aceito. Penso assim, porém respeito à opinião contrária, portanto me posiciono contra. E outra precisamos de uma esquerda melhorzinha a que está aí é muito ruim. Como faz falta um Plínio de Arruda Sampaio, Ulysses Guimarães, entre outros… Não vou nem comentar dos intelectuais hodiernos da esquerda! Precisamos estudar, estudar de novo, e só depois pensar de verdade o século XXI, no Brasil, principalmente o que é ser de esquerda no século XXI? Qual o nosso papel enquanto educadores brasileiros? O que podemos contribuir para melhoria da educação dentro da atual realidade? Fora isso é autoajuda (por que o Cortella e o Karnal, vendem tanto?rs) Mimimimi e discurso de gente fracassada e frustrada. Espero que ninguém fique roxo de raiva, comentei a autora do blogue inclusive postei este texto como comentário por lá. Acho que é sadio o debate de idéias, gosto de ouvir e pensar, não somos donos da razão, sempre podemos aprender e mudar de idéia, ou melhor, evoluir nesta questão. Ótima sexta-feira para todos.😉😘😘

Responder

    Allex

    05/11/2016 - 18h56

    1)A trágica e lamentável morte de um jovem e algum possível consumo de entorpecentes por uns poucos são episódios pontuados que em nada estão ligados à causa dos estudantes, que é também a causa de toda pessoa com um mínimo de dignidade. Infelizmente, mata-se, morre-se e consome-se drogas diuturnamente em qualquer lugar, muito mais do que em escola ocupada. Acontece que a mídia hegemônica criminosa deste país aproveitou-se da tragédia para jogar a sociedade contra os estudantes. 2) Estamos lutando junto com os estudantes sim. Eles não estão sozinhos. Entretanto, quem não é mais jovem e depende do seu emprego para pagar as contas e inclusive para pagar a educação dos filhos, tem que pensar mil vezes antes de aderir a uma paralisação, a um protesto, a uma greve. Estamos construindo diversas formas de luta e de protesto, na medida das nossas disponibilidades. Se você é covarde, fale por si mesmo e não pelos outros. 3) Sobre o fato de Ana Júlia ser filha de militante político, isso só honra ainda mais a causa. Fosse filha de algum boçal direitoso ou de algum alienado com disforia de classe (by Ana Roxo), provavelmente não teria a lucidez, o senso crítico e a coragem que tem. 4) Você alega que os estudantes são movidos pela paixão e são “condicionados” por adultos. Ora, esse risco existe sim, porém, cada vez menos, pois hoje a informação está muito mais disponível do que em qualquer outra época. Ademais, isso não invalida em nada as invasões. Nenhuma aula de história é capaz de superar a experiência de cidadania que eles estão vivendo. Provavelmente os estudantes que não invadem e que só se preocupam com uma futura profissão que lhes dê bastante dinheiro são muito mais manipulados. 5) Você convida para o diálogo, mas vem com esse papo de pacóvio, dizendo que os argumentos da Ana Roxo podem ser derrubados com um cuspe e outras tolices. Não estamos em nenhum festival de argumentos ou de cuspe a distância. 6) Plínio de Arruda Sampaio foi um importante ativista na sua juventude. Infelizmente, tornou se um esquerdista limpinho e inofensivo na velhice. Foi a prova de que velhos podem ser muito mais manipulados do que jovem. Talvez seja esse o seu problema 7) Cortella e Karnal? Quem se importa com esses caras? Se você os leva a sério, é problema seu. 8) Espero que a ocupação das escolas seja o início de um amplo e irrestrito “Ocupe Tudo”: escolas, congresso, palácio do planalto, sedes de governos e de prefeituras, câmaras de vereadores, praças, ruas, fábricas, lojas, presídios, hospitais, estradas, igrejas, fazendas, residências (inclusive a sua, a minha e a de todo mundo) etc. 8) Você é professor de história e tem esse tipo de discurso? Só posso lamentar pelos seus alunos.

Anabi Resende Filho

03/11/2016 - 16h28

Excelente comentário. Acrescentaria a fala do Papa Francisco no Encontro Mundial da Juventude, hoje, na Polônia, incitando os jovens de todo o mundo a se rebelarem. Habemus Papam e Ana Roxo.

Responder

Diego

03/11/2016 - 12h49

POW! BOOM! CRAW!

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas