Todas as matérias: Gabriel Priolli

Retrospectiva de um ano imaginário

As retrospectivas não dirão que foi a TV quem mentiu, omitiu, distorceu e criou, na maioria dos brasileiros, o estado odiento de ânimo necessário para que um golpe de estado fosse possível.

Borbulhas de opinião, por Gabriel Priolli

No mundo criado pela mídia tradicional, o PT é o partido mais corrupto já surgido no Brasil, a crise econômica é de responsabilidade exclusiva de Dilma Rousseff, o impeachment salvaria o país, Michel Temer faria um governo de pacificação nacional, e as medidas anti-populares impostas por ele são um remédio necessário, sem alternativas.

Hora de repensar a mídia pública

O golpismo zerou o jogo da mídia pública. Começou o tempo de repensá-la e reprojetá-la, para que volte melhor e mais útil - e não seja mais destruída.

Pós-jornalismo, o irmão da pós-verdade

Pós-verdade: não é um nome mais fresco para mentira. As pessoas sabem que determinado fato é ou pode ser verdadeiro, mas, se não gostam dele, preferem desconsiderá-lo.

Não basta prender. É preciso humilhar e ofender o preso

A prisão dos ex-governadores fluminenses Anthony Garotinho e Sergio Cabral, no estilo espetaculoso, pretensamente pedagógico, que a atual justiça lava-jato reserva a uns e poupa a outros, repugnou as consciências civilizadas.