Triunfo histórico deu ao chavismo maioria das prefeituras do país

Nas eleições municipais na Venezuela, o chavismo obteve 308 prefeituras de um total de 335 no território nacional, enquanto a oposição obteve 25. Em termos percentuais se constitui como o maior triunfo da Revolução Bolivariana em eleições municipais. Por Pedro Ibañez

 

Nas eleições municipais do domingo, 10 de dezembro, o chavismo obteve 308 prefeituras de um total de 335 no território nacional, enquanto a oposição no conjunto obteve 25, e 2 independentes.

Em termos percentuais se constitui como o maior triunfo da Revolução Bolivariana em eleições municipais, com 6.517.605 votos, 70% do total, e 2.749.776 para a oposição, ou seja 29%.

Este triunfo do Partido Socialista Unido de Venezuela acontece apesar do chamado pela abstenção que a oposição fez. Essa estratégia foi derrotada, já que participaram 72 organizações políticas e 9.281.257 eleitores, 47,36% do eleitorado.

Jorge Rodríguez, chefe do comando de campanha do chavismo, apresentou números que evidenciam que, na Venezuela, para eleger perfeitos e prefeitas, participam mais eleitores do que qualquer outra eleição presidencial da região.

Mencionou casos como de Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia, que foi eleito com 25,69% dos votos; no México, Enrique Peña Neto com 38,81%; Mauricio Macri na Argentina com 34,34%; e Donald Trump nos Estados Unidos com 44%.

Mais de 72 partidos políticos receberam votos, apesar do boicote e do chamado a abstenção, promovidos pela coalizão de oposição Mesa de la Unidad Democrática, dado que participou 47,36% do eleitorado.

Outro aspecto é o alcance progressivo das forças chavistas nos municípios, considerando que em 2000 venceram 80 prefeituras, em 2004 foram 270, em 2008 foram 272, em 2013 obtiveram 255 e no domingo passado, 308.

Os partidos de direita que incitaram a violência nas ruas entre abril e julho, como Voluntad Popular e Primero Justicia, ficaram de fora da correlação de poder. Por sua vez, partidos tradicionais da chamada Cuarta República, o social-cristão Copei alcançou 12 prefeituras e o centro-esquerda Movimento al Socialismo ganhou 2. Já Un Nuevo Tiempo, da linha de oposição moderada na era chavista, ganhou 6 prefeituras.

O Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV) recuperou o estado fronteiriço e petroleiro de Zulia, ao ocidente do país, com a eleição de Omar Prieto, que ganhou com maioria de votos do direitista Juan Pablo Guanipa, que nunca assumiu o cargo de governador por se negar a jurar ante a Assembleia Nacional Constituinte – poder que convocou estes comícios.

Esta foi uma das eleições com resultados mais adversos para a oposição, que calculou mal tentando capitalizar a abstenção, quando suas principais organizações se negaram a participar, forçaram a retirada de seus candidatos e desmobilizaram seus eleitores. Mesmo assim, alguns dos candidatos de oposição se postularam de modo independente ou por meio de partidos minoritários, desacatando a linha da cúpula de oposição que terá que se reformular para as eleições presidenciais de 2018.

Imediatamente o presidente Nicolás Maduro organizou uma reunião de trabalho com os novos 335 prefeitos para desenhar um projeto conjunto de governo.

 

2 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Regina Maria

20/12/2017 - 07h56

A Venezuela resistiu bravamente aos entreguistas. Tem uma Constituição que, além de popular, é respeitada pelo Judiciário.

Responder

Triunfo histórico deu ao chavismo maioria das prefeituras do país | BRASIL S.A

19/12/2017 - 17h57

[…] Fonte: Triunfo histórico deu ao chavismo maioria das prefeituras do país […]

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas