Nocaute quer saber onde está Santiago Maldonado

Militante foi visto pela última vez durante a intervenção da Guarda Nacional da Argentina em uma ocupação mapuche

Santiago Maldonado, 28 anos, desapareceu no dia 1º de agosto depois de cem efetivos da Guarda Nacional entrarem na ocupação mapuche “Pu Lof en Resistencia”, em Chubut, província da Patagônia argentina.

Segundo testemunhas, os guardas dispararam balas de chumbo e de borracha e queimaram os pertences das famílias da comunidade para tentar desocupá-la. Maldonado estava ali desde o dia anterior, acompanhando a militância e foi visto pela última vez enquanto tentava escapar dos tiros.

Os mapuche, indígenas da região centro-sul do Chile e do sudoeste da Argentina, lutam pela recuperação de seu território ancestral e por políticas em prol dos direitos indígenas.

O terreno da Pu Lof en Resistencia é de propriedade do latifundiário Luciano Benetton, da empresa Benetton, e está ocupado por cinco famílias mapuche desde março de 2015. Estima-se que a companhia italiana tenha um milhão de hectares na Patagônia argentina.

A tensão entre a empresa e os indígenas nessa região também não é nova. Embora a Constituição argentina permita a reivindicação de terras dos povos originários, a Benetton se recusa a dar o direito, alegando que aquele grupo mapuche especificamente veio do Chile.

Artesão e tatuador, Maldonado não é mapuche, mas um apoiador da causa.

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas