Histórico combatente cubano, Armando Hart Dávalos morre aos 87 anos

A morte do ex-ministro da Educação e da Cultura foi por insuficiência respiratória

O combatente revolucionário cubano Armando Hart Dávalos morreu neste domingo (26), por insuficiência respiratória, aos 87 anos.

Formado em Direito, fez parte do Movimento Nacional Revolucionário, liderado por Fidel Castro, e defendeu presos políticos durante a ditadura de Fulgencio Batista, atividade que o levou à prisão diversas vezes.

Hart foi um dos fundadores do Movimento 26 de Julho e participou de reuniões na Serra Maestra. Em 1957 foi detido e condenado a anos de prisão. A caminho do tribunal, fugiu da polícia e voltou à luta clandestina. No ano seguinte foi preso novamente e solto somente com a queda de Batista.

Depois da revolução, ocupou cargos de direção no governo, no Partido Unido de la Revolución Socialista de Cuba e no Comitê Central do Partido Comunista de Cuba. Foi também ministro da Educação, o primeiro a ser nomeado depois da revolução – e se destacou por seu papel na Campanha de Alfabetização. Por mais de 20 anos foi ministro da Cultura.

Intelectual renomado, Hart foi autor de mais de 25 livros e recebeu o título de Doutor Honoris Causa na Universidade de Soka Gakkai, no Japão, e na Universidade de Havana.

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas