Fernando Morais na Semana do Autor da Casa de las Américas, em Cuba.

A Semana do Autor, evento que durante sete dias dedica-se “ao estudo e discussão da obra de alguns dos mais renomados autores ibero-americanos” presta homenagem ao jornalista, escritor e político Fernando Morais.

Nos próximos dias a Casa de las Américas, de Cuba, vai divulgar a programação da Semana do Autor, que este ano tem como homenageado o jornalista e escritor brasileiro Fernando Morais, editor do Nocaute. Entre os dias 20 e 24 de novembro serão organizadas seis mesas de debates públicos com Morais sobre temas políticos, culturais e literários.

Há dezessete anos a Casa mantém a Semana do Autor, evento que se dedica “ao estudo e discussão da obra de alguns dos mais renomados autores ibero-americanos”. A Semana, que há quarenta anos tornou-se uma tradição em Cuba, passou a ser regular e anual a partir do ano 2000.

Desde que foi institucionalizada, a Semana homenageou, entre outros, o argentino Ricardo Piglia, o cubano Leonardo Padura, o espanhol Paco Ignácio Taibo II e o nicaraguense Ernesto Cardenal. O único brasileiro a participar, até agora, foi o escritor Rubem Fonseca, o escolhido de 2004.

Morais declarou-se “inchado como um sapo-boi” com a escolha do seu nome. “Se até lá eu ganhar na mega-sena, freto um aviãozão e levo os amigos”, disse o jornalista. “Se não ganhar, convoco os brasileiros que estiverem em Cuba para compartilhar a Semana como meus convidados”.

8 Comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Ronaldo Antonio Marques

14/11/2017 - 11h33

Homenagem mais que merecida a Fernando Morais, pelo seu compromisso com o saber, com os brasileiros e com os povos da America Latina. Estarei chegando junto com minha esposa dia 24 a Cuba, espero poder participar dos eventos da semana em homenagem ao grande escritor.

Responder

Julio Cezar Menta

13/11/2017 - 10h53

Parabéns Fernando, você merece. Lembro do seu primeiro livro que eu li, A Ilha, onde o exemplar rodou por mais ou menos uns 20 colegasque estavam de férias da Universidade, a partir daí li outras obras como Olga, que é excelente.
Só tenho que desejar-lhe muitas felicidades!
Saudações Progressistas!
Julio Cezar Menta

Responder

Sérgio Calvet

07/11/2017 - 22h27

Caro Fernando, parabéns! Eu e minha mulher, a Rita, estaremos em Havana por esses dias e certamente vamos lá na Casa de Las Américas prestigia-lo.
Você já tem uma programacao? Entramos no site da CLA mas só aparece o convite, sem maiores informações.
Se puder coloca aqui no blog. Abracos!

Responder

Rachel Moreno

04/11/2017 - 20h48

Fernando, você merece!
Parabéns!!!

Um grande abraço
Rachel Moreno

Responder

Edna Baker

04/11/2017 - 14h39

Mil parabéns! Adoraria estar lá. Se ganhar na loteria até lá, vou.

Responder

C.Poivre

03/11/2017 - 13h09

Sérvia que ter acesso ao porto Muriel, que qualificou como “um dos maiores projetos econômicos da história de Cuba”:

https://www.telesurtv.net/news/Presidente-de-Serbia-anuncia-visita-a-Cuba-20171031-0042.html

Responder

Flávio Tiné

03/11/2017 - 03h09

Merecida homenagem ao grande jornalista e escritor Fernando Moraes. Entre vários livros, “A Ilha” foi senão o primeiro, um dos primeiros e mais importantes depoimentos a respeito do sofrimento do povo cubano, que rompeu com o imperialismo ianque em 1959, graças à ousadia de um grupo liderado por Fidel Castro.
Pode-se concordar ou não com tudo o que diz Fernando Moraes, mas não se pode negar
suas qualidades de pesquisador e sua coragem de posicionar-se diante de uma situação que ainda hoje provoca controvérsias.
Em 1963 também estive em Cuba. Percorri toda a ilha durante 30 dias, fui recebido por Fidel Castro e Che Guevara com um grupo de brasileiros, ouvi discursos na Plaza de la Revolutión José Marti e cheguei à porta de Guantânamo, mas não consegui processar jornalisticamente tão grande quantidade de informações, como Fernando Moraes.
Saúdo o grande escritor com grande admiração.

Responder

    Maria Cristina

    12/11/2017 - 18h39

    Flávio, que máximo!! Vc conseguiu fazer td que eu sempre sonhei!! Conhecer Fidel e Che pessoalmente e ouvir um de seus discursos na Plaza de la Revolución!!! Fernando realmente é muito bom. Seu livreo ” Os últimos soldados da guerra fria ” é excelente!! Um abraço.

Deixe uma resposta

Recomendadas