Equador vota “sim” e impede nova eleição de Rafael Correa

População votou pelo fim da reeleição indefinida e pela reestruturação de órgão criado pelo ex-presidente, entre outros itens

O Equador votou pelo fim da reeleição indefinida na consulta popular convocada pelo presidente Lenín Moreno neste domingo (4). Com 95% das urnas apuradas, 64% votaram pelo “sim” na pergunta sobre o tema, optando pela reeleição apenas uma vez.

Os resultados representam uma derrota para o ex-presidente Rafael Correa, que fazia campanha pelo “não” e deve ser impedido de concorrer novamente à presidência. Também foi aprovado por 63% dos eleitores a reestruturação de um órgão criado por Correa para nomear autoridades de controle.

No total, os eleitores responderam a 7 perguntas: 5 delas por referendo, que mudam a Constituição, e 2 via consulta popular, para alterar leis menores.

A pergunta com mais apoio, 74%, foi a que proíbe a candidatura de condenados por corrupção. Também foi aprovada por ampla maioria a limitação da especulação imobiliária.

Os temas foram inabilitação política para condenados por corrupção, fim da reeleição indefinida, reestruturação do Conselho de Participação Cidadã e Controle Social, proibição da prescrição de delitos sexuais contra crianças e adolescentes, proibição da mineração metálica em áreas protegidas e centros urbanos, revogação da lei para evitar a especulação imobiliária, redução da área de exploração petroleira no Parque Nacional Yasuní.

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas