Em meio a protestos Argentina aprova reforma da previdência

O projeto, que já havia passado pelo Senado, foi aprovado pela Câmara com 128 votos a favor, 116 contra. A proposta reduzirá os aumentos previstos para os aposentados.

Foto: M.A.f.I.A.

O Congresso argentino aprovou nesta terça-feira (19) a proposta de reforma da Previdência que tem como objetivo reduzir o déficit fiscal. Nesta manhã, manifestações contrárias à reforma tomaram as ruas de Bueno Aires.

 

Na segunda-feira (18), enquanto os deputados tentavam aprovar o projeto, ocorreram protestos e repressão policial. A polícia disparou balas de borracha, gás lacrimogêneo e jatos de água nos manifestantes. O protesto deixou ao menos 109 feridos, entre civis e policiais, de acordo com um balanço divulgado pelo Sistema de Atenção Médica de Emergências de Buenos Aires.

 

Proposta pelo governo de Mauricio Macri, a reforma impacta a receita de cerca de 17 milhões de aposentados, pobres e deficientes, entre outros, em uma população de 42 milhões de pessoas. O governo defende a reforma como crucial e que suas medidas podem reduzir o déficit fiscal em 5% do PIB no país.

 

A lei pretende modificar a fórmula de cálculo para as atualizações das pensões e elevar a idade de aposentadoria, de maneira opcional, de 65 para 70 anos para os homens e de 60 para 63 anos para as mulheres.

 

 

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas