Cubanos vão às urnas e se preparam para escolher novo presidente em 2018

Eleições definem quem serão os delegados e delegadas das Assembleias Municipais do Poder Popular, a base da democracia cubana.

 

No domingo, cubanos e cubanas foram às urnas. Quem elegemos? Nós escolhemos delegados e delegadas das Assembleias Municipais do Poder Popular, que são a base da estrutura de governo aqui.

Segundo os números divulgados na imprensa, votaram 82% do eleitorado, ao redor de 7 milhões de cubanos e cubanas.

Agora, como essas pessoas chegaram às cédulas eleitorais em que os eleitores votaram? Foi por meio de assembleias em um bairro como este, por exemplo.

Destes escolhidos, no domingo, 50% vão para as assembleias provinciais e para o Parlamento, a Assembleia Nacional. Os outros 50% são propostos pelo que se chama de comissões de candidaturas, tanto as provinciais como a Comissão Nacional de Candidatura.

Essas comissões são integradas por representantes de diferentes organizações, como a Federação Estudantil Universitária ou o Comitê de Defesa da Revolução. Representantes dessas organizações propõem pessoas para essas cédulas.

Agora, por que essas eleições despertaram interesse não só em Cuba mas também além das nossas fronteiras? Porque em fevereiro será eleito também um novo presidente e vice-presidentes do Conselho de Estado e de Ministros, que vão sair daí, do Parlamento, da Assembleia Nacional. Ou seja, os deputados, que, por meio do voto direto e secreto, vão escolher o presidente e vice-presidente do Conselho de Estado e de Ministros. Nós não sabemos o que acontecerá em fevereiro. Mas estamos certos de que daremos seguimento também aqui no Nocaute.

Um comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

José Eduardo Garcia de Souza

05/12/2017 - 18h10

Perdão, mas as Assembleias Municipais do Poder Popular – a “base da democracia cubana”, segundo a articulista – podem eleger candidatos de outros partidos que não seja o que está no poder há mais de 50 anos? Ou, melhor ainda, há mais do que um partido em Cuba de onde se possam apresentar e eleger candidatos ao que quer que seja?

Responder

Deixe uma resposta

Recomendadas