Confirmado: Maduro será candidato à reeleição

O vice El Aissami afirma que líderes da oposição são "fantoches" do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que dá ordens por meio da embaixada norte-americana em Caracas.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, vai disputar a reeleição em 2018, anunciou o vice-presidente Tareck El Aissami nesta quarta-feira (29).

“Teremos, se Deus quiser, a reeleição do nosso irmão Nicolás Maduro como presidente da República. Eles [a oposição], que continuem seu plano [desestabilizador], mas não vamos nos render”, afirmou El Aissami, durante um encontro com militantes do PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela) no estado de Aragua, no norte do país.

“Estamos preparados para conquistar uma grande vitória em 2017 e em 2018, este povo despertou porque somos o povo das dificuldades”, disse El Aissami.

Leia também:
Brasil mia para Trump e rosna para Maduro.

O vice-presidente também informou que o PSUV e os partidos que fazem parte do Gran Polo Patriótico (GPP) vão participar como coalização nas eleições municipais do próximo 10 de dezembro.  “Reconhecemos desde já a autoridade moral do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) e inscrevemos todos os candidatos (335) às eleições municipais”.

Evo Morales poderá ser candidato

Na Bolívia, o Tribunal Pleno Constitucional (TCP) definiu nesta terça-feira (28) que o presidente Evo Morales pode concorrer à presidência e disputar o quarto mandato em 2019 se quiser. O presidente ainda não confirmou se será candidato.

Em um referendo realizado no fim de fevereiro, o governo havia proposto uma emenda à Constituição para permitir a segunda reeleição presidencial no país. O “não” venceu com 51,3% dos votos contra 48,7% para o “sim”.

A regra que limita as reeleições foi feita enquanto Morales já ocupava seu primeiro mandato e, como a lei não pode retroagir, a contagem do número máximo de reeleições começou a partir da eleição seguinte, que deu direito ao presidente de exercer seu segundo mandato.

Candidato na eleição seguinte, foi reeleito para um terceiro mandato, ele pedia à Justiça que derrubasse o limite para que pudesse ter a possibilidade de se candidatar novamente.

Nenhum Comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do NOCAUTE. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Deixe uma resposta

Recomendadas